8 de mar de 2016

Em seis passos que faria Jesus

Esse foi o tema da mensagem em nosso culto neste domingo. Usei o livreto de Paulo Bravo com esse título. Você pode encontrá-lo para download em nosso blog http://caminhocuiaba.blogspot.com.br
Ser discípulo de Jesus é bem mais que levantar a mão atendendo a um apelo do pregador; é mais que se ajustar aos costumes e doutrinas dos "evangélicos"; é mais que ter uma vida moral e social ajustada. Tudo isso é possível sem Jesus. Ser discípulo é mudar da vida apenas ordinária para uma vida extraordinária. Ao fazer isso você começará a experimentar um crescimento notório em sua vida ao mesmo tempo em que encontrará oposição em seu meio social. Você quer? Eis os seis passos do que significa andar com Jesus.
1. Viva a intolerância contra os religiosos. Jesus se relacionou com pessoas marginalizadas e acolheu os párias da sociedade. Mas ele não tolerava os religiosos hipócritas. Basta ler Mateus 23 para perceber o trato de Jesus com essa gente. Quem anda com Jesus não anda com religiosos, com os almofadinhas da "fé", com os formatados em esquemas e programas eclesiásticos seguindo doutrinas de homens e guiados por regras que determinam o que pode e o que não pode na vida.
2. Faça o que os outros não esperam. Quem anda com Jesus extrapola qualquer padrão, subverte qualquer cultura e é sempre imprevisível. Ele é simples como uma pomba e prudente como uma serpente, ou seja, ele vive sem malícia ao mesmo tempo que não vive dando bobeira. Ele é sábio e não obtuso como um asno. Jesus era indomável. Ele sempre surpreendia. Quando fizeram um grande esforço descendo um paralítico pelo teto da casa para que ele o curasse, ele apenas disse: "perdoados estão os teus pecados"; quando era esperado que ele não se aproximasse de um leproso, ele o tocava; quando lhe trouxeram uma adúltera para ser apedrejada, ele lhe disse: "eu não te condeno".
3. Desfrute sem possuir. Jesus não tinha nada mas sabia usufruir da vida. Ele usava os barcos alheios, aceitava convites para banquetes e até se oferecia para jantar na casa de ricos. Nessas ocasiões certamente ele pedia para completarem sua caneca de vinho. O discípulo de Jesus deve usar sem ser usado, ter sem ser possuído.
4. Viva inteiramente inserido no seu mundo. Os religiosos ensinam que devemos evitar o mundo, mas Jesus desconhecia essa vida separada das pessoas. Ele foi o contrário de João Batista que era asceta, não comia carne, não bebia vinho e vivia no deserto. Jesus tinha uma vida urbana, era sociável, gostava de vinho e não dispensava fácil uma picanha. Os evangélicos modernos têm o estilo de João Batista e não parecem em quase nada com Jesus.
5. Permaneça disponível para o momento. O sábado dos judeus mostra a importância que Deus dá para o descanso, para a ausência de atividades em prol da reflexão e do momento santo, mais do que locais e ritos santos. Estamos quase sempre vivendo em razão de outra atividade, outra ocasião, outra ideia, outro plano, outro dia, numa vida paralela e nociva, sem saber viver "esse momento lindo". Jesus disse para não nos preocuparmos com o dia de amanhã. Basta ao dia os problemas daquele dia. Mesmo assim não conseguimos viver um momento por vez e isso torna a vida tediosa e sem qualidade.
6. Sensualize a sua espiritualidade. Sensualizar diz respeito aos órgãos dos sentidos. Jesus viveu sua humanidade entre nós mostrando como devemos viver. Infelizmente tememos nosso corpo; alguns têm ojeriza de seus desejos e sensações porque vêm pecado em tudo. Jesus tocava e se deixava tocar pelas pessoas, sabia admirar a beleza da vida, degustar, sentir os perfumes e ouvir vozes e melodias. Precisamos aprender com Jesus a viver nossas limitações, admitir nossas necessidades e usufruir de nosso corpo.
Jesus o Filho de Deus se fez homem para que como homens aprendamos como ser filhos de Deus. Lendo os Evangelhos conhecemos como vive um discípulo de Jesus. Basta ao discípulo ser como seu mestre.
Antonio Francisco – Cuiabá, 8 de agosto de 2016 – Voltar para Mensagens.

0 comentários: